Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

...

 

Este domingo vi pela primeira vez, no cinema, a (extraordinária!) apresentação do novo 007 (estreia em Novembro), e uma vez mais aterrei num pensamento comum, porém pouco explorado: quando hoje se fala em globalização, seria justo lembrar que a música e o cinema foram as primeiras disciplinas a perceberem, aplicarem e obterem resultados sobre essa “fórmula capitalista”. Que hoje nos dá, a um tempo, a felicidade e a tragédia...

E como me lembrei desta ideia, que um dia destes exploro no blog com maior empenho e dedicação, fui buscar aos arquivos um cartaz do “Diamonds are Forever” (1971) na versão... japonesa. A arte sempre à frente do capital.

publicado por PRD às 01:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

...

 

Esta coisa do preço dos combustíveis vem de longe... O escândalo que levou o semanário bem à esquerda “Ponto” a fazer manchete com os 50$00 que em 1980 custava a gasolina era justamente motivado pelos aumentos então decretados pelo Governo de Sá Carneiro...

O “Ponto” nasceu à esquerda e quis ser um semanário popular de qualidade, piscando o olho ao povo mas escrito para poder ser lido pelas elites... Dirigido por Abel Pereira, juntava muitos ex-Diário Popular, de Acácio Barradas e Ângelo Granja, de Baptista-Bastos a José Leite Pereira. Durou menos do que devia

publicado por PRD às 09:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

...

 

Não sei muito nem pouco sobre este postal antigo que comprei na feira de antiguidades que regularmente anima o centro da Praça de Londres. Em rigor, sei nada. Mas lembrei-me dele hoje, véspera do casamento da minha amiga Lú. A Isabel, que é como na verdade se chama a Lú, nunca deixou de acreditar. Foi paciente. Não quis falhar segunda vez.

Com ou sem a nova lei socialista, casa amanhã, sábado, e eu acredito que vai ser muito feliz.

publicado por PRD às 04:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 16 de Setembro de 2008

...

 

Não sei se o “tomei de empréstimo” – para sempre... - dos meus pais, se o comprei numa Feira da Ladra, ou de onde veio – mas encontro, entre arrumações, a primeira edição portuguesa de “Cabra Cega”, o romance de Roger Vailland que foi, tanto quanto me lembro, uma das minhas primeira leituras da adolescência militante...

Libertino – lembro-me que gostei da palavra, que a critica aplicava a Vailland.

Esta edição, de 1959 (calma, eu só li o livro em 1978, tinha 14 anos...), foi publicada pela Ulisseia, traduzida por Hélder Macedo e tem um prefácio de José Cardoso Pires onde se pode ler: “Politica e empresa amorosa tinham a sua bela aliança – primeira nota a fixar na análise do «jogo por dentro». Segunda nota, corolária da primeira ou vice-versa: a felicidade individual requer planificações políticas amplas e ambiciosas. O burocrata, o carreirista da governação ou o legislador provinciano têm pavor aos projectos vastos”. Lá está.

Esta capa é de António Garcia.

Fiquei com vontade de reler o romance que, de alguma forma, me iniciou na fina mistura entre a vida juvenil na política, na escola e nos amores...

publicado por PRD às 12:16
link do post | comentar | favorito
Sábado, 6 de Setembro de 2008

...

 

John Kennedy na sua cadeira favorita, no ano em que foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América, na década de 60 do século passado. Escolhi esta fotografia, que está integrada na colecção Hulton Getty (uma das mais valiosas do mundo, que reúne imagens de agências e fotógrafos de todas as origens), em mais uma ausência aqui deste lado esquerdo do blog. Uma semana, não mais.

Mas faz sentido: esta semana passa mais um 11 de Setembro, estamos em plena campanha eleitoral, simpatizo com Obama e tenho saudades de olhar para os EUA e ver este país de poder e sensatez, de respeito e liberdade, de futuro e democracia, que de alguma maneira o tempo Kennedy inspirou, voltar a ter uma luz quente sobre a sua existência.

publicado por PRD às 03:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

...

 

Na semana das eleições em Angola, lembrei-me de digitalizar este anúncio de imprensa (de 1971) do Banco de Angola, que encontrei numa newsmagazine portuguesa desse tempo.

Claro que tive curiosidade em saber o que era um “macuta” e que era feito deste Banco de Angola.

Foi fácil: o site do Banco Nacional de Angola conta que o seu antecessor tinha “a sua sede instalada em Lisboa para “ se esquivar às influências locais e para ser mais directa a fiscalização do Ministro das Colónias. O Banco de Angola deteve até 1957 o exclusivo comércio bancário em Angola. (...) Um ano após a independência de Angola, (...) foi criado o Banco Nacional de Angola e aprovada a sua Lei Orgânica”. Hoje o “herdeiro” deste Banco de Angola é o Banco Central do país, “acometido de maior responsabilidade e autonomia para com maior propriedade conduzir e executar a política monetária e cambial do País”.

Quanto ao “macuta”, descubro num site sobre a História de Angola que remonta ao tempo do Marquês de Pombal moeda com este nome, “privativa para Angola: exibia, pela primeira vez, o dístico “África Portuguesa”. Depois de várias mortes e renascimentos, foram cunhadas de novo moedas com esta designação durante a ditadura e até, pelo menos, 1967...

publicado por PRD às 01:37
link do post | comentar | favorito

nota

Clique nas imagens para ver em tamanho maior.

links

mais sobre mim

pesquisar

Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

arquivos

Setembro 2013

Maio 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

favoritos

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

blogs SAPO

subscrever feeds